quarta-feira, 25 de maio de 2011

Quino

"Grande cartunista argentino, pai de Mafalda e de tantas outras charges que durante várias décadas vem encantando o mundo. Sua marca distintiva é o humor reflexivo, inteligente e sempre atual." 





Quino, ou Joaquín Salvador Lavado, nasceu dia 17 de julho de 1932 na cidade de Mendoza (Argentina). Recebeu o apelido desde pequeno, para diferenciá-lo de seu tio Joaquín Tejón, pintor e desenhista publicitário com quem aos 3 anos descobriu sua vocação. Na década de 40, perde sua mãe e seu pai. Termina a escola primária e decide inscrever-se na Escola de Belas Artes de Mendoza, a qual abandonaria anos depois para dedicar-se a desenhar quadrinhos e humor.



quino.bmp


Em 1954, instala-se precariamente em Buenos Aires e perambula pelas redações de todos os jornais e revistas em busca de emprego. A revista Esto Es publica sua primeira página de humor gráfico. Desde então e até o dia de hoje continuam sendo publicados ininterrupitamente seus desenhos humorísticos numa infinidade de jornais e revistas da América Latina e Europa. Em 1960 casa-se com Alicia Colombo. Não teve filhos. A lua de mel no Rio de Janeiro foi a primera saída da Argentina. 





Em 1963 lança seu primeiro livro de humor, Mundo Quino, uma recopilação de desenhos de humor gráfico mudos. Em 1964 aparece Mafalda pela primeira vez e a partir daí foram lançados vários livros na Argentina e no exterior. Viajou a vários países divulgando seu trabalho e recebeu diversos prêmios de nível internacional, entre eles o de desenhista do ano, em 1982. Atualmente publica seus desenhos na revista semanal do jornal Clarín.





Mafalda

É a obra-prima de Quino. Através da personagem de uma garotinha aparentemente inocente e de seus amigos, o desenhista reflete sobre a política, a economia e a sociedade em geral, sempre com um toque de humor. Mafalda foi traduzida a 10 idiomas, exportada a vários países, foi garota-propaganda de campanhas da UNICEF, motivo de cartões-postais e de selos argentinos. 


Apesar de os primeiros livros terem sido lançados na década de 60, pode-se encontrá-los ainda hoje nas bancas de jornais de Buenos Aires, provando que o prazer de ler Mafalda é sempre atual.

site oficial: www.quino.com.ar














Imagens: Reprodução

Até mais!

Nenhum comentário:

Postar um comentário